Líder do PSOL sugere prisão de Bolsonaro e o chama de genocida

Juliano Medeiros | Bolsonaro
Foto: Reprodução | Internet


O líder nacional do PSOL, Juliano Medeiros, prestou uma série de ataques contra o presidente Jair Bolsonaro, afirmando que o mesmo será tirado de presidência do Brasil e acabará sendo preso.

Por meio do Twitter o psolista disse:


"Anotem: ao liderar uma campanha contra a vacinação, Bolsonaro está enterrando de vez sua reeleição. E quando nossa democracia for plenamente restabelecida, acabará atrás das grades, como merecem os genocidas", postou.

Medeiros se doeu porque Bolsonaro não aceitou a imposição do STF de obrigatoriedade da vacinação contra a Covid-19.  A estratégia do Supremo é punir todo aquele que negar a vacinação.

Bolsonaro, no papel de presidente da República, defende que cada individuo tem o direito de decidir se quer ou não ser vacinado e que ninguém deve ser obrigado a se imunizar.

"Ninguém pode obrigar ninguém a tomar a vacina. Se o cara não quer ser tratado, que não seja, eu não quero fazer uma quimioterapia e vou morrer, o problema é meu", disse Bolsonaro.

Agora vamos analisar... virou crime defender a liberdade do cidadão? Ou o tal líder do PSOL só quis usar a imagem do presidente Bolsonaro, criticando-o, apenas para se promover e agradar a lacrosfera? 

O PSOL é uma piada mesmo.

Comente e commpartilhe.

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.

Acima do Post

Below Post Ad