Bolsonaro esculacha Biden, mostra quem manda e crava que a Amazônia não está à venda: "Nossa soberania é inegociável"

Bolsonaro | Biden
Foto: Reprodução | Internet

 O presidente Bolsonaro não gostou nem um pingo do que o candidato à presidência dos Estados Unidos, Joe Biden, relatou em debate sobre o Brasil, insinuando "comprar" a Amazônia; e rebateu com a resposta que ele mereceu.

Biden afirmou que, caso eleito, fará uma coalizão internacional para transferir US$ 20 bilhões ao governo Bolsonaro. O montante, segundo o candidato, deverá ser destinada à preservação da floresta amazônica.

Além da promessa rídicula, Biden ainda ameaçou o goveno brasileiro dizendo que "se não pararem [com as queimadas], terão consequências econômicas significativas [sanções]”.

Bolsonaro, por sua vez, não gostou nem um pouco dos ataques de Biden e esculachou o norte-americano, mostrando quem manda e cravando que a Amazônia não está mais à venda como foi em governos bandidos anteriores

"O que alguns ainda não entenderam é que o Brasil mudou. Hoje, seu Presidente, diferentemente da esquerda, não mais aceita subornos, criminosas demarcações ou infundadas ameaças. NOSSA SOBERANIA É INEGOCIÁVEL.

- Meu governo está realizando ações sem precedentes para proteger a Amazônia. Cooperação dos EUA é bem-vinda, inclusive para projetos de investimento sustentável que criem emprego digno para a população amazônica, tal como tenho conversado com o Presidente Trump.

- A cobiça de alguns países sobre a Amazônia é uma realidade. Contudo, a externação por alguém que disputa o comando de seu país sinaliza claramente abrir mão de uma convivência cordial e profícua.

- Custo entender, como chefe de Estado que reabriu plenamente a sua diplomacia com os Estados Unidos, depois de décadas de governos hostis, tão desastrosa e gratuita declaração.

- Lamentável, Sr. Joe Biden, sob todos os aspectos, lamentável.", disse o presidente Bolsonaro em suas redes sociais.

Você concorda com o presidente?
Ver essa foto no Instagram

- O candidato à presidência dos EUA, Joe Biden, disse ontem que poderia nos pagar U$ 20 bilhões para pararmos de "destruir" a Amazônia ou nos imporia sérias restrições econômicas. - O que alguns ainda não entenderam é que o Brasil mudou. Hoje, seu Presidente, diferentemente da esquerda, não mais aceita subornos, criminosas demarcações ou infundadas ameaças. NOSSA SOBERANIA É INEGOCIÁVEL. - Meu governo está realizando ações sem precedentes para proteger a Amazônia. Cooperação dos EUA é bem-vinda, inclusive para projetos de investimento sustentável que criem emprego digno para a população amazônica, tal como tenho conversado com o Presidente Trump. - A cobiça de alguns países sobre a Amazônia é uma realidade. Contudo, a externação por alguém que disputa o comando de seu país sinaliza claramente abrir mão de uma convivência cordial e profícua. - Custo entender, como chefe de Estado que reabriu plenamente a sua diplomacia com os Estados Unidos, depois de décadas de governos hostis, tão desastrosa e gratuita declaração. - Lamentável, Sr. Joe Biden, sob todos os aspectos, lamentável. XXXXXXXXXXXXXXXXXXX Texto em inglês no snapgram:

Uma publicação compartilhada por Jair M. Bolsonaro (@jairmessiasbolsonaro) em

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.

Acima do Post

Below Post Ad